Voltar

Revive the memory of the timepieces

Revive the memory of the timepieces

Tão famosa quanto os tesouros de jade e porcelana ou o precioso mobiliário apresentado ao visitante nas amplas salas da Cidade Proibida, a coleção relojoeira do Museu do Palácio de Pequim é composta por relógios virtuosos e muitas vezes extravagantes, que foram presentes dos Irmãos Jesuítas ou dos Embaixadores do Ocidente dispostos a conquistar os imperadores da China: de produção inicialmente europeia, os relógios do Palácio passaram a ser fabricados em seguida na China, principalmente na Manufatura Imperial do Cantão.

Há mais de dois anos, uma delegação do Museu do Palácio visitou a Manufatura e a recém-inaugurada Maison des Métiers d’Art. Esta visita deu continuidade a viagens e encontros anteriores, que resultaram na assinatura de um acordo de colaboração com o objetivo de restaurar peças relojoeiras das coleções imperiais. Uma delegação de artesãos da Manufatura conheceu os ateliês de restauração do Palácio e suas coleções, e também se encontrou com inspiradores mestres da arte chinesa. Em seguida, fizeram juntos uma seleção minuciosa de seis movimentos de relógios da coleção do Palácio para serem restaurados na Suíça, de acordo com um protocolo muito específico, respeitando a autenticidade e a antiguidade das peças, validado diariamente por ambas as partes. Foram necessários quatro meses para que a equipe conjunta do Palácio e da Manufatura Cartier concluísse esta delicada restauração: uma corrida contra o relógio para cumprir os prazos e evitar que os relojoeiros do Palácio ficassem tanto tempo longe de suas famílias. Os movimentos restaurados retornaram à China em junho de 2017 para serem recolocados em suas caixas, também restauradas pela equipe do Palácio que permaneceu no local.

Esta aventura cultural, técnica e humana foi filmada por Li Shaohong, famosa documentarista e presidente da Associação de diretores de cinema da China. Igualmente conhecida por sua série televisiva de sucesso, Li é considerada a diretora mais influente de sua geração.

O filme de 11 minutos será lançado pela primeira vez na China em janeiro de 2018 e será amplamente divulgado nas redes sociais chinesas, aproveitando a ocasião do Salão Internacional de Alta Relojoaria de Genebra. Trata-se de um registro raro, fruto de uma colaboração única e exemplar entre mestres relojoeiros do Oriente e do Ocidente, resultado da relação de confiança entre a Maison Cartier e a administração do Museu do Palácio de Pequim. Esta colaboração relojoeira excepcional e pioneira abre a perspectiva para novos projetos de trocas culturais entre a China e seus parceiros europeus do mundo da cultura e das artes.

© The Palace Museum / Richemont Commercial Company Limited