O Diamante Cartier

 

Dentre os 4Cs, o fator mais decisivo é, sem dúvida, a lapidação do diamante – sua simetria, sua proporção, nem muito alto, nem muito plano. Ela é a responsável por sua beleza excepcional. Os diamantes Cartier centrais com lapidação brilhante e tamanho superior a 0,30 ct na escala do GIA recebem a classificação “Muito bom” e “Excelente”*, para garantir a cintilação máxima e um brilho único.

Alguns critérios adicionais impostos por nossos “Experts Diamant Cartier” para os diamantes lapidação brilhante:

  • a mesa deve ser entre 56% e 63% para as pedras superiores a 0,23 ct;
  • a profundidade total deve ser entre 58% e 63% e sem a ponta ;
  • a cintura deve ser de levemente espessa à espessa.

*Para os diamantes centrais com lapidação brilhante inferior a 0,30 ct e para os diamantes lapidação fancy, a Cartier aceita as classificações variando de “Bom” a “Excelente” na escala.

 

A unidade de medida do peso dos diamantes é o quilate. Seu nome tem origem na semente de alfarroba, utilizada antigamente para pesar os diamantes. O peso é o critério mais importante para determinar o preço de um diamante. Um quilate corresponde a 0,20 g.

A Cartier propõe solitários com ampla gama de quilates de acordo com as armações*.

*Solitários com diamantes certificados a partir de 0,18 ct

 

As inclusões são imperfeições naturais do diamante que podem alterar sua qualidade. 

A pureza do diamante depende da quantidade, do tamanho e da posição de suas inclusões.

A escala de pureza elaborada pelo GIA propõe uma classificação do FL (Flawless = nenhum defeito visível mesmo com uma lente de aumento de 10x) ao I3 (Imperfeito = inclusões visíveis a olho nu).

Os diamantes Cartier são selecionados unicamente entre IF e VS2, o que lhes garante uma pureza excepcional e a ausência de qualquer inclusão visível a olho nu.*

*O modo de seleção dos diamantes apresentados neste catálogo e as garantias de qualidade relativas aos “4Cs” se aplicam aos diamantes redondos de mais de 0,18 ct.

 

Quanto mais branca for a sua cor, mais excepcional será o diamante. A cor é avaliada pelo GIA de acordo com uma escala que vai do D ao Z seguindo a ordem alfabética (D significando diamante com uma cor “branca excepcional” e Z “cor acentuada”). Os diamantes Cartier são exclusivamente selecionados entre D e H, o que significa que são todos incolores. A Cartier aceita apenas diamantes com pouca ou nenhuma fluorescência.